sexta-feira, agosto 10, 2007

Comprimido para o dia seguinte com nome estrangeiro, sem ser a pílula, depois de uma noitada com alguns copos que me deixou assim tão tonto!

Acordei exactamente como adormeci: com todo o planeta a rodopiar no tecto do meu quarto e no interior da minha cabeça.

Sensação similar, apenas a que me embalava nas noites de verão, em que o meu corpo derrotado de um dia de praia, parecia ainda levado pelo movimento das ondas.

Pois é Verão, foi noite agora manhã, e esta sensação não me embala, antes pelo contrário, parece agora atingir o meu estômago que afinal de contas não é mudo, nem tem apenas instruções para movimentar o seu interior no sentido descendente.

Não tenho sede, mas deixo que os conselhos de alguém que não recordo, me levem a despejar milhares de gotas unidas num litro de água pelos lábios a dentro.

“Muita água, tens de beber muita água!” – são estas as palavras sábias que agora ecoam, e se repetem neste enjoo.

Da noite anterior, recordo a dança frenética, os sorrisos brilhantes que se confundiam com os flashes de luz e a companhia que não parava de dançar.

A Areia que me abraçava os pés, e os raios laser que ora incidindo nas minhas mãos me conferiam um poder sobre-humano, bem na pontinha dos dedos.



Na boca, os vestígios de várias Caipirinhas relembravam a teoria dos efeitos cumulativos e dos respectivos delitos, em Direito Penal do Ambiente, apenas com subtis diferenças.

Ironicamente, também neste caso o “ambiente sofria”, primeiro o interior, biológico, e depois - quase em simultâneo - o exterior, a nível comportamental.

Não é pois de estranhar, que o cemitério de copos abandonados no balcão indiciasse o meu estado de crescente dormência, comprovando a referida teoria: o efeito de uma destas bebidas, consideradas isoladamente era inofensivo – ou quase – mas a sua cumulação produzia um efeito, com uma danosidade tão certa como o somar das palhinhas que ia recolhendo nesta minha sede brasileira.

A ressaca, neste caso, não era nem foi uma mera probabilidade, mas antes uma certeza que comigo acordou, e que me acompanhou até à farmácia em busca de um conhecido tubinho milagroso.

Detesto medicamentos, é certo, mas há alturas em que é necessário ouvirmos a voz da experiência, mesmo quando esta tropeçando nas sílabas, as enrola desastradamente, para dizer: Guronsan.

O meu primeiro disco verde efervescente a borbulhar na caneca, 10 minutos após o sorriso trocista do farmacêutico que ousadamente me aconselhou a tomar 2 em vez de um só.

Agora, sem entender bem como, o mundo dentro e fora de mim abrandou, retomando a velocidade natural, sem movimentos circulares e altamente estonteantes.

Silenciadas pela vergonha de serem mentira, saltitam em mim expressões como "não bebo mais Vodka!" ou "nunca mais bebo!".

Mentira, porque a memória é curta, as marcas das asneiras passam depressa....e eu, bem, eu estou de férias e tenho tempo para me recompor... over and over.

O que vale é que isto só acontece 2 ou 3 vezes por ano.

3 comentários:

Pearl disse...

LOL
Não pude deixar de me rir da tua desgraça provocada...
Pois é, quem quer curtir, e pela descrição da noite acaba por sofrer as consequências.
Já dizia o famoso cantor "quando a cabeça não tem juízo..."
A verdade é que as férias são mesmo é para curtir e parentemente curtiste "à grande"!!!
Abri o teu blog à procura de um mistério que estimulasse a minha massa encefálica, a pouca que sobrou dos tempos de escola, e deparo-me com uma bruta de uma bebedeira!!!
Ao menos sei-te bem!
Bjks, saudades,
Pearl (É melhor assinar, nunca sei quando aparece a assinatura ou sou anónima...)

F. disse...

Eu já te tinha vindo ler...só não quis falar muito alto porque bom...achei que a tua pobre cabeça ainda devia estar a latejar :) E as férias? bjos

ivone disse...

só acontece duas ou três vezes por ano?

não sabes o que perdes. a vida é bela (um grande filme, viste?) ou what a wonderful world no voz de louis armstrong (conheces?) sem vodka sem alcool sem pastilha mas com uma boa dose de esperança...

bj
ps: tomaste quantos gurosans(acho que se chama assim rs)no dia seguinte?